É impossível ser feliz sozinho

3 de janeiro de 2011

Um.

O primeiro passo, a primeira palavra, o primeiro dia na escola... O primeiro amor, o primeiro beijo, a primeira decepção, o primeiro erro... Tudo tem a sua primeira vez...


Meia noite, estava se iniciando o ano de 2011, os seus braços foram os primeiros a se encontrarem com os meus, ‘’Feliz ano novo’’ dissemos, e logo após afirmamos que nada tem de novo na vida, é apenas um ano que começa. As oportunidades de mudança, as chances de fazermos tudo melhorar são as mesmas. A felicidade não está na passagem dos meses, na passagem dos anos, ela não está em canto algum e está em todo lugar, pode jamais acontecer, pode acontecer por minutos ou por uma vida inteira, mas não depende de um ano que começa. Tantos instantes felizes ainda podem existir, tantos primeiros beijos, primeiros encontros... infinitas causas, finitos momentos!

Todas as sensações possuem nomes conhecidos: amor, ódio, ilusão, saudade... Defina-os! E ainda há quem diga que por já ter vivido determinadas coisas, está preparado o suficiente caso elas aconteçam novamente. Não, não está! Os nomes são os mesmos, os sentimentos não. Ninguém nos decepciona da mesma forma, ninguém ama da mesma forma, ninguém ilude da mesma forma... Ninguém, alguém, o primeiro... Há sempre algo novo e diferente para acontecer. Podemos viver os mesmos sentimentos cem vezes, e ainda assim será a primeira vez.

7 comentários:

  1. interessante,adorei a descrição. . .

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto...me faz lembrar um música do Zézé di Camargo...A primeira namorara, aprof do jardim, etc...show

    ResponderExcluir
  3. Bem Gustavo, eu não sou grande fã do Zézé mas a música é muito bonita, muito mesmo. Obrigada pelos comentários.

    ResponderExcluir
  4. kkkkkk o Zezé é show... adoro as calças apertadas q ele usa...

    ResponderExcluir
  5. É, nem sempre a gente ama da mesma forma.. #)

    ResponderExcluir
  6. Aii adorei o texto!
    Lindo o Blogg
    To tee seguindo ...
    bjoss

    ResponderExcluir